sexta-feira, junho 18, 2010

É Saramago, um grande Português!


WebIslam

6 comentários:

SENSEI disse...

Uma grande mais-valia nacional que se perde.
Saramago foi aquilo que muitos jamais serão e, quando o pó de Varas e afins ou afilhados, nada mais for que uma mistura com adubo de excrescências de animais para o crescimento de nabos e afins, seres que nem história farão, Saramago perdurará no altar da história humana em geral e na Portuguesa em particular, pois para ela contribuiu, não só como o grande escritor que foi, como o HOMEM HUMANISTA que sempre soube ser, lutando sempre pelos direitos dos mais desfavorecidos e contra as injustiças sociais.

Ouss
MMaster Sensei San

CRN disse...

Agradeço a Grande obra que nos legou, e se queres, também agradeço por aqueles que aí vêm, mas, quanto a perdermos... Seguramente, na sua óptica, quem perdeu foi ele.

Abraço!

Marilia Gonçalves disse...

Não me Peçam Razões...

Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.

Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.

Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir.

José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"

Marília Gonçalves disse...

AMIGOS

por motivos de saúde não escrevi ainda o que sinto sobre a perda terrível de um Companheiro de Luta de quantos se batem por justiça e por um Mundo Melhor
Mas para Homenagear SARAMAGO, militante, escritor, homem que não desistiu e que apenas a doença venceu (todos somos humanos) será sempre dia! Assim que a saúde mo permita, prestarei a Saramago com o meu sentir e pensar a homenagem respeitosa e admirativa que me merece
Como acima referimos nosso amigo, Portugal ficou mais pobre, e com Portugal também o Mundo, porque Saramago internacionalista era um escritor Universal
com a minha mais profunda e respeitosa memória
Marília Gonçalves

Marília Gonçalves disse...

Papoila Rubra, Amigos

Não posso calar-me diante da atrocidade, da ausência do Presidente da República de Portugal, à cerimónia de despedida a José Saramago que não só foi o imenso escritor que todos conhecemos, como trouxe a Portugal o Prémio Nobel, o único que provavelmente nos vai ficar,
já que o do PR Egas Moniz, tem tido muitas vozes contra e para que por desumano tal prémio seja retirado.
o Sr Presidente da República de Portugal esquece suas funções ao serviço de Portugal e de seu Povo
e esta ausência é um grito de desrespeito não só pelo valoroso escritor, como pela Língua Portuguesa e Pelo Povo de Portugal!
Tomamos acta de seu horripilante gesto e pela parte que me toca, pelo desrespeito que denota, V.E. NÃO FAZ FALTA NENHUMA? nesse adeus sentido que os patriotas fazem ao seu Escritor
Sem mais e como diz a amiga azinheira sou eu, as acções ficam com quem as pratica quer sejam mesquinhas, quer grandiosa!aqui encontramo-nos face às birras dum presidente! com uma tremenda falta de chá em pequeno, quem sabe, a água do Poço de Boliqueime não se prestaria a tal infusão

Marília Gonçalves

CRN disse...

Marília,

Portugal não tem presidente, tem um eleito para o papel, mas, como vem constituindo tendencia, só se servem do país.

Abraço