quarta-feira, junho 09, 2010

Repressão, frustração ou condicionamento?

A Escola Secundária Dr. Jorge Correia, em Tavira, foi palco de uma onda de protestos, na terça-feira, devido a um aviso da direcção relativo ao uso de roupas «de Verão».

Afixado em vários pontos do estabelecimento de ensino, o aviso recomendava a alunos, professores e funcionários que não usassem chinelos, calções de praia, ou qualquer peça de vestuário demasiado curta.

O director da escola, José Baía, frisou ao tvi24.pt que não se trata de uma proibição. «Ninguém proibiu nada. Houve uma recomendação afixada, que tem a ver com a época de exames, pois já fomos várias vezes chamados à atenção pelas inspecções», referiu.

Questionado sobre a maneira de vestir dos alunos, José Baía afirmou que «vêm como vão para a praia». «Chinelos, calções de banho, no caso das jovens micro-saias, já nem falo em mini-saias...», sustentou.

O director salientou que o tipo de vestuário adoptado pelos jovens não seria o mais apropriado, adiantando, no entanto, que a recomendação se estende a toda a comunidade escolar.

«Também ninguém vai para a praia de fato e gravata», ironizou.

Em relação aos protestos dos alunos, que se vestiram na terça-feira com as indumentárias «leves» apontadas pela recomendação, o director afirmou que não teve conhecimento de nada.

«Não estava à espera de protestos, mas também não dei conta de nada, nenhum jovem veio falar comigo e ninguém foi expulso», concluiu.

2 comentários:

Nelson Ricardo disse...

A direita está a assumir feições ridículas. Preocupa-lhes mais as vestimentas que se passeiam nas escolas que a manutenção de um sistema de ensino como deve ser.

Um Abraço.

CRN disse...

Nélson,

Padrão escocês, a envelhecer, em barricas de contraplacado.

Abraço!