sábado, julho 12, 2008

Sem terra não há raiz que floresça!!



"O fracasso de um “modelo” que se afastou do ideal comunista Esta forma de o PCP compreender a teoria e a prática revolucionária vem de há muitos anos. Tornou-se particularmente imperativa com a derrocada da URSS e do regime existente noutros países do leste da Europa. Estes acontecimentos foram festivamente anunciados pelos propagandistas como prova de que a revolução socialista tinha sido um logro histórico, o fracasso histórico do ideal comunista. Anunciaram em consequência, “a morte do comunismo” e daí logo concluíram e anunciaram alguns a inevitabilidade e próxima morte dos partidos comunistas. Tais ideias, profusamente espalhadas, suscitam algumas considerações fundamentais. Em primeiro lugar, tanto a Revolução de 1917 na Rússia, a formação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e a construção da sociedade nova, como outras revoluções de carácter socialista que se verificaram no leste da Europa, na Ásia, na América e com objectivos mais limitados em África, foram assinaladas por extraordinárias realizações, transformações e conquistas progressistas de carácter económico, social, cultural e político que, como atrás foi referido, transformaram no século XX a face do mundo. Em segundo lugar, o que fracassou não foi o ideal comunista, mas um “modelo” de sociedade que em aspectos fundamentais se afastou de tal ideal. Não foram apenas “erros humanos”, embora também o tenha havido, mas uma concepção, uma prática política e um exercício do poder que de facto se afastaram do ideal comunista.
Tivemos esperança (que os acontecimentos mostraram ser demasiado optimista) numa correcção dos apontados aspectos negativos da evolução e da política nesses países." Excerto da conferência proferida por Álvaro Cunhal a 21 de Maio de 1993, em Ponte da Barca, inserido no ciclo de conferências e debates promovido pela Câmara Municipal local intitulado «Conversas com endereço». Tema proposto a Álvaro Cunhal: «O comunismo hoje e amanhã»."


8 comentários:

Jorge disse...

Caro CRN

Quer os fascistas e neo-liberais queiram quer não,... a luta de classes está e estará sempre presente nas sociedades em defesa dos povos oprimidos e desvaforecidos pelo capitalismo selvagem, como estamos agora a assistir no nosso país e na Europa.

CRN disse...

Olá Jorge,
Espero que o capitalismo não tenha o mesmo destino.

Cumprimentos.

Ana Camarra disse...

Crn Depois disto que te posso dizer? Talvez chamar-te com alegria Camarada!?
Tenho acompanhado os teus posts, os teus comentários no meu e noutros blogues e identifico-me quase de imediato com a ideia expressa.
Este de facto não me deixa margem de dúvidas.
De facto ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar uma sociedade mais justa e cada vez mais esse ideal faz falta.

Desculpa a extenção dos comentários
Obrigado
Beijos

poesianopopular disse...

CNR
Obrigado pela vizita ao meu modesto blog.
Pelo que me é dado observar, és um corredor de fundo!
Para quem como eu nasceu em 1942, ao ver este teu post, revive as trisrezas, e as alegrias, o trigo e o joio.
Só há uma coisa que ainda me intriga; é o comportamento deste povo,que teima em não ser adulto.
Obrigado por esta retroespectiva, que diz tudo.
Abraço

CRN disse...

Olá Camarada?
Espero que cada vez mais Portugueses comecem a olhar para fora do binómio que os rouba há 33 anos, para tal, estou covencido, que também contam contigo nesse caminho.
No relativo à extensão dos comentários, com tanto que falta por dizer, abunda à vontade, é sempre um prazer.

Abraço.

CRN disse...

Olá poesianopopular,
Alegro-me que tenhas recordado outros tempos mas, se me permites, a tristeza é um peso superflúo, morto, e os mortos já não conversam, na melhor das possibilidades encontram a alegria de vivêr de quem os recorda e se dá conta que não é o único a acreditar em tempos melhores.
No concernente à falta de emancipação dos Portugueses, somos como jovens aos quais se lhes roubou a infância, ansiosos por encontrar um mundo semelhante àquele que foi sonhado em Portugal, essência do 25 de Abril, o problema é que essa inquietação se amaina com as necessidades da realidade na qual vivêm, com alguns doces, como esforços em prol de uma mentira que se lhe aproxima como certeza do pão como algo prescindível.

Bem-vindo, volte sempre.

Cumprimentos

SENSEI disse...

CRN
Sem dúvida que assistimos hoje a mais um espernear do capitalismo, a única solução que este caduco e injusto sistema sempre encontrou para superar as suas crises, foi a diminuição da população através de guerras e o controlo dos lucros com a proliferação da fome, em especial em África, na América Central e no Sudoeste Asiático.
O capitalismo é uma pescadinha de rabo na boca, dizia alguém que eu muito admirava, vai acabar por se devorar a si mesmo.
Fiquei muito bem impressionado com o teu blogue, é sempre bom sabermos que temos camaradas de luta e, que havemos de vencer, pois a razão e a verdadeira justiça social está connosco.

CRN disse...

..e nós com ela!

Olá Sensei,
Bem-vindo, espero que possâmos continuar a lêr comentários como o teu.

Cumprimentos.