domingo, julho 19, 2009

"A Imprensa e os Déspotas Alemães"

“Nossos leitores estão cientes do rápido progresso na Alemanha dos princípios republicanos e comunistas, que causaram terror incomum entre o bando coroado e seus assessores daquela grande confederação de nações [i.e. a Confederação Alemã]. Medidas adicionais de repressão estão, então, sendo postas em prática para investigar o crescimento dessas “doutrinas perigosas”, especialmente na "Prússia". Sabe-se que no ano de "1834", uma secreta Conferência de Plenipotenciários aconteceu em Viena, onde um Protocolo foi acordado, mas, apenas recentemente publicado, impondo as mais absolutas restrições à imprensa e proclamando e reforçando o “direito divino” dos Príncipes sobre todos os órgãos legislativos e populares de outra ordem. Assim, como um exemplo do princípio da “Sagrada Aliança” desse Protocolo atroz, podemos citar que o décimo-oitavo artigo afirma que:

Príncipes, que estão ameaçados em seus Estados por alguma infração das ordens protocoladas pelo decreto da Dieta de "1832", devem dissolver esses Estados e obter apoio militar do restante da Confederação.”

Nós devemos acrescentar, como prova de como a igualdade e a liberdade de imprensa é entendida na "Prússia", que ordens estritas foram dadas aos censores em Colónia, em Münster e outras cidades católicas, para não permitirem a republicação de qualquer parte dos julgamentos irlandeses que estão acontecendo. Um jornal alemão quis mandar um repórter ou correspondente para Dublin, mas, não havia esperança de autorização da publicação nem mesmo de sua carta. No entanto, a liberdade será triunfante, apesar das masmorras e baionetas deles.

E foi!

A revolução é hoje!

2 comentários:

Ana Camarra disse...

CRN

A imprensa e os déspostas de qualquer nacionalidade pouco mudaram....

beijo

CRN disse...

Ana,

Infelizmente!

Abraço.