quinta-feira, dezembro 17, 2009

Adriano

Quem poderá domar os cavalos do vento
Quem poderá domar este tropel
Do pensamento à flor da pele?

Quem poderá calar a voz do sino triste
Que diz por dentro do que não se diz
A fúria em riste do meu país?

Quem poderá proibir estas letras de chuva
Que gota a gota escrevem nas vidraças
Pátria viúva a dor que passas?
Pátria viúva a dor que passas?

Quem poderá prender os dedos farpas
Que dentro da canção fazem das brisas
As armas harpas que são precisas?
As armas harpas que são precisas?

2 comentários:

filipe disse...

Muito bem recordado. Sabemos que a história não se repete, mas sabemos também que ciclicamente se assemelha...
Fazem-nos muita falta, novos cantautores como o nosso Adriano!
Um abraço.

CRN disse...

Filipe,

Nunca se repete.
Nesse aspecto podiamos estar melhor, mas também bastante pior, tratemos de os apoiar!

Um abraço.