segunda-feira, dezembro 07, 2009

Ensaio

Tenho a impressão de não ser real,
se calhar nem sequer cá existo
Ao ver quão volátil,
É o valor de tudo isto.

Não passa de uma massa animada,
que se levanta com o sol e se deita sozinha
Que nasce livre e acompanhada, que morre triste, cansada,
Sem história para uma linha.

A quantidade de vidas entregues a qualquer postor,
sem o mais minimo atisbo de rancor
Com medo de sonhar, destruidos pela tv,
sem esperança de mudar, quem tem fome não lê.

Filhos de pais, filhos da mãe,
também os há filhos da puta,
mas contra estes nada feito,
nasçam homens para a luta!

-Não vales uma pá de areia!
-Areia há muita, pá!

E segue, continua a negação
Um caminho sem volta
Um resultado indiferente
Sem objectivo marcado
Sem direito à afirmação
Será chuva, será gente?

Golos, atentados
Alegria, tristeza
Pão encima,
debaixo da mesa
Uma vida incerta
Imposta certeza?


A revolução é hoje!

7 comentários:

Zorze disse...

Isto é teu, ou copiado?

Seja como for é belíssimo, ou, noutros pontos de vista trágico.
Em suma, é interior e sentido. Muito belo...

"Com medo de sonhar...", não pode nunca existir medo em quem tenha convicções indubitáveis de Ser e de Existir.
Revestidos de forças inabaláveis, existe-se e compreende-se que não existe nem superioridade, nem inferioridade.
É existir embrenhado com o "tudo" o que nos rodeia, não descartando um juízo crítico, confiante e consciente de que, até pode estar errado.

Abraço,
Zorze

CRN disse...

é meu. tenho por hábito explicitar os autores de qualquer artigo que considere interessante publicar.

Interessante leitura!

A revolução é hoje!

Jorge disse...

Excelente ensaio !!

Abraço

A CHISPA disse...

Vá ver o novo Blog,que já há muito fazia falta.
Conheça,analise,faça e dê a sua opinião,divulgue e se quiser pode participar,desde que a opinião contribua para a elevação da consciência e da luta proletária.
Saudações Comunistas
"achispavermelha.blogspot.com"

CRN disse...

Jorge,

Continuemos!

Abraço!

Ana Camarra disse...

CRN

Nunca, nunca ter medo de sonhar!
Mas continua a escrever, escrever é uma forma de sonhar também.

beijo grande

CRN disse...

Ana,

Medo nenhum, mas anda por aí.

Abraço