sexta-feira, setembro 24, 2010

Como se diferencia o proletário do escravo?

O escravo está vendido de uma vez para sempre; o proletário tem de se vender a si próprio diariamente e hora a hora. O indivíduo escravo, propriedade de um senhor, tem uma existência assegurada, por muito miserável que seja, em virtude do interesse do senhor; o indivíduo proletário – propriedade, por assim dizer, de toda a classe burguesa -, a quem o trabalho só é comprado quando alguém dele precisa, não tem a existência assegurada. Esta existência está apenas assegurada a toda a classe dos proletários. O escravo está fora da concorrência, o proletário está dentro dela e sente todas as suas flutuações. O escravo vale como uma coisa, não como um membro da sociedade civil; o proletário é reconhecido como pessoa, como membro da sociedade civil. O escravo pode, portanto, levar uma existência melhor do que a do proletário, mas o proletário pertence a uma etapa superior do desenvolvimento da sociedade e está ele próprio numa etapa superior à do escravo. O escravo liberta-se ao abolir, de entre todas as relações de propriedade privada, apenas a relação de escravatura e ao tornar-se, assim, ele próprio proletário; o proletário só pode libertar-se ao abolir a propriedade privada em geral.

Engels - 1847

4 comentários:

Fernando Samuel disse...

Lá estarei - em lisboa.


Um abraço.

joão l.henrique disse...

Dia 29 é dia de luta.

Lá estaremos.

Um abraço.

Mário disse...

Fernando,

Em Lisboa, lá estarei!


Um abraço!

Mário disse...

João,

Seremos muitos, pelo menos de Almada a Madrid deslocar-se-ão milhares, ainda que outro amigo sempre faça falta. Deste lado vamos seis.

Abraço!