sábado, janeiro 15, 2011

Senta-te aí

Está na hora de ouvires o teu pai
Puxa para ti essa cadeira
Cada qual é que escolhe aonde vai
Hora-a-hora e durante a vida inteira

Podes ter uma luta que é só tua
Ou então ir e vir com as marés
Se perderes a direcção da Lua
Olha a sombra que tens colada aos pés

Estou cansado. Aceita o testemunho
Não tenho o teu caminho pra escrever
Tens de ser tu, com o teu próprio punho
Era isto o que te queria dizer

Sou uma metade do que era
Com mais outro tanto de cidade
Vou-me embora que o coração não espera
À procura da mais velha metade

João Monge

3 comentários:

Fernando Samuel disse...

Muito bom!

Um abraço.

Jorge Manuel G disse...

Camarada,

Este blogue tem, entre muitas outras coisas, uma musicalidade fantástica e de muito bom gosto.
Gostaria de saber, a cada momento, quais são as músicas que estão a tocar e não consigo encontrar essa informação. Era muito útil.
O poema, esse, é de facto muito inspirado e tocante.

A luta continua, contínua!

Jorge Gomes

CRN disse...

Fernando,

Um abraço.


Jorge,

Temos, então, bom gosto musical.
Quanto a identificar as canções e os autores, trataremos disso em tags.

Um abraço.