terça-feira, agosto 19, 2008

Muhammad Yunus, revolucionário?

Muhammad Yunus, em bengali: মুহাম্মদ ইউনুস Muhammod Iunus, (Chittagong, 28 de junho de 1940) é um economista e banqueiro de Bangladesh.

Em 2006 foi laureado com o Prémio Nobel da Paz. É autor do livro Banker to the poor (em Portugal, O banqueiro dos pobres). Pretende acabar com a pobreza através do banco que fundou, do qual é presidente e o governo de Bangladesh é o principal acionista, o Grameen Bank, que oferece ativamente microcrédito para milhões de famílias. Yunus afirma que é impossível ter paz com pobreza.
Muhammad Yunus formou-se em Economia em Bangladesh, doutorou-se nos EUA e foi professor na Universidade de Dhaka. Em 1976, constatou as dificuldades de pessoas carentes em obter empréstimos na aldeia de Jobra, em um Bangladesh empobrecido e recém-separado do Paquistão. Por não poderem dar garantias, os bancos recusavam-lhes as pequenas quantias que permitiriam comprar materiais para trabalhar e vender, e os usureiros taxavam os empréstimos com juros altos.
Muhammad Yunus criou então o Banco Grameen, que empresta sem garantias nem papéis, sendo, sobretudo, procurado por mulheres: elas são 90% dos 7,5 milhões de beneficiários. A taxa de recuperação é de 98,85%.
A palavra "microcrédito" não existia até a década de 1970. Yunus cunhou-o para designar um tipo muito específico de crédito, que ele concebera, e cujo objeto principal não são os pequenos produtores, mas sim as populações pobres, que não têm, absolutamente, acesso a qualquer outro tipo de crédito.
Yunnus concebeu, e conseguiu implantar, a mais conhecida e bem-sucedida experiência de microcrédito do mundo. Yunus a iniciou em 1976, concedendo empréstimos de pequena monta, com seus próprios recursos, para famílias muito pobres de produtores rurais, focalizando principalmente nas mulheres. Os bons resultados obtidos nessa primeira fase do projeto o levaram a expandir suas operações com recursos de terceiros.

Explica Muhammad Yunus:

O "Grameencredit" (crédito do Banco Grameen) baseia-se na premissa de que os pobres têm habilidades profissionais não utilizadas, ou subutilizadas. Definitivamente não é a falta de habilidades que torna pobres as pessoas pobres. O Grameen Bank acredita que a pobreza não é criada pelos pobres, ela é criada pelas instituições e políticas que o cercam. Para eliminar a pobreza, tudo o que temos de fazer é implementar as mudanças apropriadas nas instituições e políticas, e/ou criar novas instituições e políticas(...) o Grameen Bank criou uma metodologia e uma instituição para atender às necessidades financeiras dos pobres e criou condições razoáveis de acesso a crédito, capacitando os pobres a desenvolverem suas habilidades profissionais para obter uma renda maior a cada ciclo de empréstimos."

O "Grameencredit":

a) Promove o crédito como um dos direitos humanos;

b) Sua missão principal é auxiliar as famílias pobres a se ajudarem a superar a pobreza. É dirigido aos mais pobres, especialmente às mulheres pobres;

c) Uma das características mais destaca o "Grameencredit" é que não é baseado em qualquer garantia real, nem em contratos que tenham valor jurídico. É baseado exclusivamente na confiança, e não no Direito ou em algum outro sistema coercitivo.

d) É oferecido no intuito de gerar auto-empregos, fomentando atividades que criem rendas para os pobres, ou ainda para a construção de sua habitação, ao contrário dos empréstimos destinados ao consumo;

e) Foi criado para enfrentar os bancos tradicionais, que rejeitam os pobres - para eles considerados "indignos de crédito". Em conseqüência disso, o "Grameencredit" rejeita a metodologia bancária tradicional e criou sua metodologia própria;

f) Oferece seus serviços na porta da casa dos pobres, adotando o princípio de que as pessoas não devem ir ao banco mas sim o banco às pessoas;

g) Para obter um empréstimo um tomador tem que se reunir a um grupo de tomadores, que ficam moralmente responsáveis por seu pagamento;

h) Os empréstimos podem ser obtidos numa seqüência sem fim. Novos empréstimos tornam-se disponíveis se os anteriores estiverem sendo pagos;

i) Todos os empréstimos devem ser pagos em pequenas prestações, semanais ou bi-semanais;

j) Mais de um empréstimo pode ser concedido, simultaneamente, ao mesmo tomador;

k) Os empréstimos são sempre vinculados a planos de poupança para os tomadores, obrigatórios e voluntários, ;

l) Geralmente esses empréstimos são concedidos por instituições sem fins lucrativos, ou por instituições cuja propriedade é controlada, majoritariamente, pelos próprios tomadores. O "Grameencredit" procura operar a uma taxa de juros o mais próximo possível dos juros do mercado local, cobrando a taxa básica (no Brasil seria a taxa SELIC), não a taxa cobrada pelos emprestadores tradicionais. As operações do "Grameencredit" devem ser auto-sustentáveis.

m) A prioridade do "Grameencredit" é construir o "capital social". Isso é obtido pela criação de grupos e centros, destinados a desenvolver lideranças. O "Grameencredit" dá uma ênfase toda especial à "formação do capital humano" e à proteção do meio-ambiente.

10 comentários:

Zorze disse...

Caro CRN, aí está um excelente exemplo. Mel para os nossos sentidos.
Só que este exemplo vai contra muitos lucros garantidos.
É certo que é um a remar contra a maré. Aplicou a sua inteligência à práctica real do dia-a-dia. Mas aos poucos vai lá.
Abaixo as politiquices, Viva os Despertos.

Abraço,
Zorze

CRN disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
CRN disse...

Olá Zorze,
Um remar contra a maré com 7.500.000 de remadores.
A politica, ou politicas, devem ser o reflexo da vontade de um povo. Considerando que existem varios programas e ideologias e não estando - qualquer um de nós pode pensar o contrário - de acordo com os resultados derivados daquelas que foram utilizados, pelo menos, durante a nossa existência, podemos utilizar o sufrágio universal para modificar tal realidade, apostando por quem estructura ou define o programa mais próximo às nossas convicções.
Não obstante, antes de tudo isso e nesta conjuntura, prefiro a revolução, o problema é que mesmo depois da revolução deve existir a politica - afinal somos um animal politico -, resultando assim a anarquia como a forma de coexistência mais selvagem que possa existir, relegando-nos à nossa condição de animal de forma definitiva.
O Socialismo, comunismo na sua acepção pura (sem esquecer que existem muitas teorias sobre o comunismo), é a forma mais ética de compartir um espaço e uma condição comuns, respeitando as diferenças no dogmatismo e sem esquecer que todos temos os mesmo privilégios... E obrigações.

Cumprimentos.

Ana Camarra disse...

CRN

1º Acho que não deves de parar de publicar, isso é fazer a vontade aos porcos que nos censuram.

2º Conheço a temática do mixcro credito e quando vemos como é facil e simples criar condições de vida que levam familias, comunidades, aldeias a sair da pobreza crónica e da miséria hereditária, temos a certeza que certas coisas não mudam no mundo porque certas pessoas não querem e porque o resto das pessoas consente, indiferente com uma pena ocasional dos pobrezinhos....



Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today...

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace...

You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world...

You may say I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will live as one


Abreijos

Ana Camarra disse...

Desculpa, recado ao Zorze:

Isto é politica amigo!

CRN disse...

"pelo menos, durante a nossa existência"
Uma virgula a mais, daquelas que valem 500.000€.

CRN disse...

Olá Ana,
Vou ver se me livro deste problema.
A corrupção das posições chave é um facto.O povo, o povo tem que acordar e espero que isso aconteça mais cedo ou mais tarde, de tanto o obrigarem a dormir cansar-se-á de tanto obscurantismo, já aconteceu.

Cumprimentos.

CRN disse...

Grande Lennon, assassinado e proibido pelo bush durante o atentado das torres.

Ana Camarra disse...

CRN

A sério?
Foi proibido pelo Cowboy analfabeto?
Não sabia...


beijocas

CRN disse...

Olá Ana,
Esta e outras muitas, varios artistas.

Cumprimentos.